Morar Bem, Viver Melhor beneficia 327 famílias com habitação social, em quatro municípios

O investimento da CDHU é de R$ 38,9 milhões nas intervenções. Houve também renovação de convênio de regularização fundiária em São José do Rio Preto, que beneficiará mais de 1,7 mil famílias com títulos de propriedade.

Na última sexta, 19 de janeiro, o secretário de Estado da Habitação, Rodrigo Garcia, esteve em cinco cidades para sortear, entregar novas casas pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), e renovar o convênio de regularização fundiária – através do Programa Cidade Legal – na cidade de São José do Rio Preto. Ambas são ações referentes ao Programa Morar Bem, Viver Melhor; da Secretaria de Estado da Habitação.

A primeira parada foi no sorteio de 78 unidades em Analândia, região de Campinas (Analândia B, R$ 9,3 milhões); logo após, outras 120 unidades foram sorteadas em Gavião Peixoto (Gavião Peixoto A, R$ 14,2 milhões); próximo das 15h, foram entregues 33 casas em Embaúba (Embaúba C, R$ 3,9 milhões); mais 96 habitações foram entregues em Olímpia (Olímpia H, R$ 11,5 milhões).

“Nós sabemos o que representa a casa própria para cada família que precisa de um lar. Hoje não é fácil fazer um investimento desse tamanho (R$ 14,2 milhões), mas São Paulo é o único Estado da federação que investe 1% do que recebe de ICMS em habitação”, afirmou o Secretário de Estado da Habitação, Rodrigo Garcia, durante sorteio de 120 unidades em Gavião Peixoto.

E como última agenda, o Programa Cidade Legal – de regularização fundiária do Estado – renovou o convênio firmado com a cidade de São José do Rio Preto. Com isso, mais de 1,7 mil famílias que vivem em oito bairros do município, conseguirão ser beneficiadas com títulos de propriedade de suas casas. Esse trabalho de regularização compreende um recurso de R$ 315,7 mil aprovado e liberado pela pasta.

Os empreendimentos da CDHU contam com azulejo na cozinha e banheiro, piso cerâmico, muro de divisa, calçada de acesso, cobertura em estrutura metálica, caixilhos de alumínio e laje de forro em casas de 56,67m² com dois dormitórios, sala cozinha e banheiro; além de infraestrutura completa com redes de água e esgoto, rede elétrica, iluminação pública, drenagem, pavimentação asfáltica, guias e sarjetas, muro de arrimo e passeio público.

A doméstica Ermelinda Nunes Pereira, de 52 anos e do trabalhador rural Valdecir Gomes de Siqueira, de 43 anos deram adeus ao aluguel. O casal foi um dos receberam as chaves da casa nova em Embaúba. “Acabamos de dar um passo na evolução das nossas vidas. Aluguel nunca mais, sem volta!”, comemorou Valdecir.

A CDHU atende famílias com renda entre um e dez salários mínimos, priorizando as que recebem até três. Outros requisitos para participar do programa são: morar ou trabalhar no município há pelo menos cinco anos, não ser proprietário de imóvel e não ter financiamento habitacional.

Saiba mais:  Sedentarismo atinge quase metade dos brasileiros

As famílias sorteadas serão convocadas para o processo de habilitação. Na ocasião, deverão comprovar os requisitos exigidos para participar do programa habitacional. É preciso ter renda entre um e dez salários mínimos, morar e atestar que o chefe da família trabalhe no município há pelo menos cinco anos, não possuir imóvel ou financiamento habitacional e não ter sido atendido em outros programas habitacionais de interesse social. Os idosos precisam ter idade mínima de 60 anos e indivíduos sozinhos 30 anos ou mais.

“Quando fui sorteado, eu nem acreditei! Imediatamente fomos morar temporariamente na casa da minha mãe para esperar o dia de pegar as chaves da minha própria casa”, diz o ajudante de obras Luan Pereira Mendes, 21 anos, que agora vai investir R$ 150 mensais nas prestações de sua casa própria. “O dinheiro que sobrar nós vamos investir na nossa casa”.

De acordo com estudo realizado pela CDHU, são criados 14,5 empregos diretos a cada R$ 1 milhão investido em construção residencial, o que equivale a 564 empregos diretos criados pelas quatro obras que somam 327 unidades.

Trabalho desde 2011 – Na região administrativa de Araraquara, foram 6.143 Habitações de Interesse Social (HIS) entregues; e mais 325 estão com obras em andamento. O que representa R$ 161,4 milhões dispensados.

Na região de Barretos, foram 1.281 Habitações de Interesse Social (HIS) entregues; e mais 695 estão com obras em andamento. O que representa R$ 178,6 milhões investidos.

Na região de Campinas, foram 34.001 Habitações de Interesse Social (HIS) entregues; e mais 3.035 estão com obras em andamento. O que representa R$ 861,7 milhões de investimento.

Tanto os números de investimentos quanto de moradias são resultado dos esforços da CDHU e da Agência Casa Paulista, que são frentes de viabilização de moradia da Secretaria de Estado da Habitação.

Morar Bem, Viver Melhor – Reúne todas as ações e investimentos da Secretaria de Estado da Habitação, como infraestrutura, urbanização, requalificação, acessibilidade, qualidade das construções e equipamentos, cuidados com o meio ambiente e qualidade de vida para as famílias atendidas.