Cervejando – Harmonização cerveja e escola belga   

Por: Monali Bassoli*

“A Bélgica não é o país das cervejas, e sim o paraíso das cervejas”, esse ditado é bem conhecido no mundo cervejeiro e com razão: não há nenhuma outra escola com maior liberdade de criação. Os belgas utilizam diversas especiarias na fabricação da cerveja, como sementes de coentro, anis estrelado, casca de laranja, cereja e condimentos. Outras características dessa escola é o realce do malte, a riqueza de copos, a utilização das cervejas na gastronomia, a fermentação espontânea (não controlada pelo mestre cervejeiro) e a produção de diversas receitas sem estilos definidos, chamadas de Specialty Beers. Com toda essa variedade sempre há uma cerveja para harmonizar com uma comida.

Um dos pratos mais clássico da Bélgica é o moules et frites (mexilhões e batatas fritas). Na forma mais comum de comer os mexilhões na Bélgica, eles são cozidos em vinho branco com cebolinha, salsa e manteiga. Como é um prato típico do verão harmoniza com uma cerveja refrescante como a Witbier, cerveja de trigo com adição de cascas de laranja e semente de coentro.

O garnaalkroketten é um croquete de camarão cinza encontrado em muitos restaurantes. O crustáceo é conhecido como “o caviar do Mar do Norte”. Para acompanhar esse prato uma complexa Belgian Strong Ale, que possui notas frutadas e lupuladas.

Experimente os boulettes ou stoofvlees com uma Dubbel, um dos estilos mais clássicos dessa escola, que apresenta notas de malte torrado, caramelo e frutas passas. O primeiro prato é um tipo de almôndegas muito apreciado nesse país, geralmente feito com uma mistura de carne bovina e suína no molho de tomate. Já o segundo, é carne de vaca cozida lentamente em cerveja. Os dois são servidos com batata frita. 

This is an image of all the food and drinks that Belgium is famous for: Belgian beer, Belgian waffles, Belgian chocolate, and traditional fries with mayonnaise. A variety of Belgian beer bottles are out of focus in the background, as well as a drawing of a Belgian map in Belgian flag colors.

 A qualidade do chocolate belga é reconhecida no mundo todo, são mais de 2.000 chocolatiers na Bélgica. A harmonização depende do chocolate escolhido. Por ser bem doce, o branco combina com uma cerveja mais ácida e que tem adição de frutas vermelhas, como Fruit Beer. O chocolate ao leite, assim como o branco, é um tanto adocicado, porém traz sabores mais próximos do toffee e de nozes e combina com uma cerveja Quadrupel. Já no caso do chocolate meio amargo, uma cerveja com perfil de torrefação e amargor presente é uma combinação mais interessante, como as Belgian Dark Strong Ales.

Para os famosos waffles, a dica é a mesma do chocolate, dependendo do seu acompanhamento. Inclusive a Fruit Beer pode ser interessante, pois ela funciona como uma calda.

Lembrando que meu e-mail monali.bassoli@gmail.com está aberto para sugestões e dúvidas e que esta coluna e todas as outras já publicadas podem ser lidas no meu blog: etudocomida.tumblr.com

* Monali Bassoli, jornalista e sommelière de cerveja – monali.bassoli@gmail.com