Adesão à tecnologia de pagamento por aproximação cresce durante a pandemia

Desde 30 de Abril, foram realizadas mais de 100 mil transações nas praças de pedágio da Ecovias e Ecopistas; tecnologia é resultado de parceria entre ARTESP e concessionárias

Desde 30 de abril, quando o projeto piloto para o pagamento por aproximação foi implantado, as praças de pedágio da Ecovias e Ecopistas, concessionárias reguladas pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), contabilizaram mais de 100 mil transações neste sistema. A tecnologia está contribuindo para diminuir o contato entre o operador da cabine de pedágio e o motorista, evitar a manipulação de dinheiro e ampliar a proteção contra o coronavírus.

A modalidade de pagamento com a utilização de cartões de crédito e débito que possuam a tecnologia Near Field Communication (NFC), permite a transação sem a digitação de senha para valores inferiores a R﹩ 50. Além disso, o pagamento pode ser feito com a utilização de relógios, celulares e pulseiras, desde que tenham o NFC. “Essa iniciativa demonstra o empenho do Governo do Estado de São Paulo em reduzir os índices de transmissão em todas as frentes, inclusive no pagamento de pedágios”, afirma o vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia.

Mais de 42 mil transações nesta modalidade foram registradas nas praças de pedágio da Ecovias, responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, e a adesão têm crescido com o passar do tempo. No segundo mês foi registrado um aumento de 92% no número de transações e, apenas nos 13 primeiros dias julho, já houve um aumento de 51% na comparação com o mesmo período do mês anterior.

Nas praças de pedágios da Ecopistas, que atende o Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto, foram mais de 58 mil transações por este meio. No segundo mês de utilização, foi registrado um aumento de 89% no número de transações na comparação com o primeiro mês e, apenas nos 13 primeiros dias julho, já houve um aumento de 71% na comparação com o mesmo período do mês anterior. “O papel da ARTESP é aperfeiçoar a cada dia os procedimentos e tecnologias disponíveis nas rodovias concedidas de São Paulo. E a adesão da população a essas iniciativas demonstram que estamos sendo assertivos”, afirma o diretor-geral da agência, Milton Persoli.

Mecanismo

Ao chegar no local de cobrança, o motorista confere o valor que aparece no visor da maquininha instalada do lado de fora da cabine e, em seguida, aproxima o cartão do leitor. O NFC transmite uma espécie de código que somente a maquininha e o cartão têm acesso e conclui a operação em alguns segundos. Depois aparecerá na tela a mensagem de que o pagamento foi aceito e a cancela será liberada instantaneamente, sem o motorista precisar ter contato direto com o operador de pedágio, dinheiro ou ter que digitar sua senha na máquina.

Outras iniciativas

As 20 concessionárias do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo têm adotado várias medidas sob gerenciamento da ARTESP para combater a transmissão do Coronavírus. Em todas as edificações, e principalmente nas praças de pedágio, foram intensificadas as medidas de higiene. Funcionários receberam máscaras de proteção. Nas praças de pedágio foi disponibilizado álcool gel para os operadores higienizarem as mãos e superfícies de contato frequente, e também para os usuários.

Painéis de mensagens eletrônicas espalhados pelas rodovias concedidas têm exibido frases alertando os motoristas sobre a importância do uso de máscaras e medidas essenciais como lavar as mãos e manter o distanciamento social. As concessionárias também ampliaram a atenção aos caminhoneiros, com distribuição de kits alimentação, kits higiene, etiquetas eletrônicas (TAGs) para pagamento de pedágio nas cabines automáticas, aplicação de vacinas contra a gripe H1N1 e testes rápidos para detectar a Covid-19.

Sobre a ARTESP

A ARTESP – Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo – regula o Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo há mais de 20 anos. Sob sua gerência, estão 20 concessionárias, que atuam em 10,7 mil quilômetros de rodovias, o que representa quase 50% da malha estadual, abrangendo 283 municípios.

A Agência também fiscaliza o Transporte Intermunicipal de Passageiros, exceto nas Regiões Metropolitanas de São Paulo, Campinas, Baixada Santista, Vale do Paraíba e Litoral Norte. Dentre as ações, realiza auditoria de frota, garagem e instalações, ações fiscais na operação das linhas regulares, nos terminais rodoviários e nas rodovias. Além disso, a ARTESP é responsável pela regulação das Concessões dos Aeroportos Regionais.