Arquivo Geral

Por: Luiz Eduardo Schneider*

Esquecimento

Que o nosso tempo está passando mais depressa do que merecíamos, é uma certeza constatada todos os dias. No entanto, por culpa disso, três datas importantes estão sendo cada vez mais esquecidas: dia do índio, de Tiradentes e descobrimento do Brasil. Basicamente, apenas as escolas têm feito trabalhos lembrando estas três importantes reflexões. Se o dia 21 de abril, destinado e homenagear um dos nossos primeiros heróis, não fosse feriado, também ele estaria no rol das datas esquecidas. Há quem diga que a culpa desse esquecimento é da falta da antiga aula de Educação Moral e Cívica, hoje vista por alguns como espécie de “ranço da ditadura”. Já outros dizem que a falta destes ensinamentos tornou nossa sociedade fria e, por isso, não se dá a devida importância a algumas datas.

Em todo lugar

Não raras vezes ficamos indignados quando vemos a pauta dos informativos, na televisão, que mostram obras iniciadas pelas autoridades (governadores, prefeitos) e não acabadas: são hospitais, creches, pontes, escolas e uma série sem fim de esqueletos de construções que ficam à mercê do tempo e acabam deteriorando-se por completo. Dói no coração quando vemos o dinheiro público tão mal administrado. Em cada obra começada e não acabada tem – possivelmente – sempre um desvio de material, de dinheiro, de intenções.

Ah droga!

A caça aos traficantes que povoam nossa cidade parece não ter fim. Os policiais prendem algumas dessas pessoas e, sem demora, outras aparecem para praticar o mesmo crime. O mesmo acontece com as drogas! Elas são apreendidas, mas brotam (sabe-se lá de onde) para infestar nossa Taquaritinga, que um dia já foi pacata e livre desse mal. Acontece que o combate ao tráfico não é uma atitude isolada e pontual dos nossos incansáveis policiais. O combate às drogas tem que ser reprimido diuturnamente e ao lado da repressão policial deve entrar a participação dos pais, da escola e da sociedade.

Reunião

Na manhã de sábado (29), no gabinete do presidente da Câmara Municipal aconteceu importante reunião, sobre a questão da dengue no município. Discutiu-se sobre estrutura, estratégia e cumprimento de leis para estancar o problema. Em 2019, foram registrados 4 mil casos da doença e 7 mortes. Vários setores municipais da Prefeitura foram convidados para o encontro, mas somente dois deles compareceram. Uma pena.

Ditado popular

Há um ditado muito popular que ensina: “A voz do povo é a voz de Deus”. Deve ser por força desta frase que “inventaram” as pesquisas de opinião, que mostram a tendência, pelo menos no momento, do pensamento do cidadão. Não precisa ser necessariamente uma opinião sobre política, mas, por qualquer outra coisa que se quer colocar no mercado. No entanto, as mais populares são aquelas envolvendo política e os políticos. Gasta-se muito dinheiro para determinar a quantas andam tal candidato ao pleito municipal, por exemplo. E depois de eleitos, há também pesquisas para entender se esta ou aquela pessoa está fazendo jus ao cargo que ocupa. Em nossa cidade não é diferente!

Sugestão

Dois dias de feira são realizados semanalmente em Taquaritinga, na Avenida Paulo Scandar, defronte a praça Dr. Fued Simão. Às terças-feiras, a partir das 17h30 e aos sábados, começando às 7h. Fica uma sugestão aos feirantes e ao governo municipal: por que não mudar, ao invés do sábado, fazer na sexta-feira, também à tarde, como é feito na terça-feira? No sábado, o consumidor aproveita sua ida ao supermercado e já compra os produtos comercializados na feira. Não custa nada tentar não é mesmo?

* Luiz Eduardo Schneider é jornalista