Planejamento: Audiência Pública do Plano de Mobilidade Urbana de Taquaritinga

Encontro acontece nesta segunda-feira (17), às 18h30, na Câmara Municipal.

Acontece nesta segunda-feira (17), na Câmara Municipal, às 18h30, a primeira audiência pública da elaboração do Plano de Mobilidade Urbana de Taquaritinga. O evento será aberto ao público e terá como objetivo apresentar os conceitos em andamento e as formas de participação da comunidade. O evento estava marcado para acontecer na segunda-feira passada, mas em razão das fortes chuvas que caíram em todo o Estado, foi transferido para o próximo dia 17.

Além do embasamento legal, os objetivos a serem atingidos, as fases do andamento dos trabalhos, os princípios do planejamento urbano e o impacto deste planejamento no cotidiano da cidade, bem como as formas de participação popular no processo, terão a participação do engenheiro civil, especialista em trânsito, Vicente Sílvio Ferraudo.

Na audiência, promovida pelo Legislativo a pedido da Secretaria Municipal de Obras e Meio Ambiente, Ferraudo vai apresentar e explicar o Plano Municipal de Mobilidade Urbana. O profissional é proprietário da empresa VS Engenharia e Consultoria e tem experiência no setor há 15 anos. Ele é ex-diretor e secretário de Mobilidade Urbana da cidade de Botucatu. Há mais 7 anos atua como engenheiro de trânsito da empresa BomSinal Indústria e Comércio. É autor de vários projetos de sinalização em cidades como Macatuba, Holambra, Ubatuba, Pirassununga e Juazeiro do Norte, além de projetos de orientação turística/regulamentação.

Cidade planejada – O Plano de Mobilidade Urbana é a lei municipal que visa integrar o planejamento urbano, transporte e trânsito, observando princípios de inclusão e sustentabilidade. O Plano de Mobilidade Urbana avalia as condições atuais de mobilidade e indica alternativas para os próximos anos, considerando o crescimento do município e priorizando os meios de transporte menos poluentes e a diversidade para o deslocamento de pessoas e cargas.

 Esse planejamento envolve diversas questões que interferem diretamente na qualidade de vida da população, como infraestrutura (equipamentos públicos como escolas, creches, postos de saúde, iluminação), saneamento e coleta de resíduos, preservação de áreas verdes e controle de poluição, uso e ocupação do solo, entre outros temas.