Meliante é morto em tentativa de roubo à propriedade rural de Taquaritinga (SP)

Registro de boletim de ocorrência feito no plantão policial da Delegacia de Polícia de Taquaritinga, na madrugada desta quarta-feira (12), consta que na noite anterior, três indivíduos, encapuzados e armados, invadiram uma residência, localizada em área rural no município, entre Taquaritinga/Jaboticabal, os quais renderam as vítimas que estavam dentro do imóvel, mediante ameaças de morte, anunciando o roubo.

Após serem trancadas em um quarto, uma das vítimas conseguiu fugir, pulando a janela, acionando a PM, que logo chegou ao local. Os meliantes, assim que avistaram a viatura da PM, tentaram evadir-se a pé, pelos fundos da propriedade, deparando-se com os policiais militares, passando a efetuar disparos com arma de fogo, havendo, com isso, troca de tiros, resultando na morte de um dos meliantes, não identificado no momento, e os demais fugindo em disparada.

Viatura da Força Tática na frente da Delegacia do Município – Foto: Gabriel Bagliotti / O Defensor

De acordo com as informações, as vítimas tiverem três celulares subtraídos: um Motorola G6; um Zen Fone e um Iphone 5S. Foram apreendidas duas armas de fogo, utilizadas pelos assaltantes, uma calibre 12, marca CBC e outra calibre 22, tipo artesanal; mais três pistolas e uma espingarda, calibre 12 e um aparelho celular, que encontrava-se no bolso da vítima fatal. No local ainda foram encontrados cartuchos de calibre 12, apreendidos pela perícia, o mesmo ocorrendo com uma bolsa e uma capa de chuva, deixadas pelos meliantes.

A autoridade policial compareceu ao local dos fatos, sendo requisitada às perícias que se fizesse um levantamento do ocorrido, como exames necroscópico do indiciado/vítima, com legitimação, vez que não possuía qualquer documento de identificação; exames residuográficos, tanto da vítima/autor, quanto nos policiais militares envolvidos na troca de tiros; apreensão das armas, tanto a portada pelo indiciado, bem como a dos PMs e correspondentes perícias nas mesma. Preliminarmente, foram tomadas as declarações dos policiais militares envolvidos nos disparos, bem como das vítimas de roubo.

Com relação à conduta dos policiais militares, na troca de tiros, resultando na morte do indiciado, sendo ele um dos três elementos que praticavam o roubo nas vítimas da área rural, o entendimento por ora é que agiram em legítima defesa e estrito cumprimento do dever legal, repelindo a injusta agressão, utilizando os meios necessários de que dispunham no momento, havendo assim, a necessidade de investigação mais apurada, com análise dos resultados dos exames periciais, os quais, no momento dos fatos foram requisitados, tendo os mesmos sendo ouvidos, preliminarmente em declarações, na condição de investigados, deixando de proceder a autuação de flagrante dos mesmos, prosseguindo nas investigações no competente Inquérito Policial a ser instaurado.