Câmara de Taquaritinga (SP) acata veto e não reajusta salário de prefeito e vice

Porém, os subsídios dos secretários serão de R$ 8.000,00 a partir de 2021.

A Câmara acatou o veto parcial do prefeito Vanderlei Mársico ao projeto que reajustava os subsídios do Executivo. Na sessão de segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020, o placar registrou 11 votos favoráveis ao veto, um contrário e uma abstenção.

 A única parte do projeto que será sancionada é a que aumenta o salário dos secretários municipais, de R$ 6.171,15 para R$ 8.000,00 a partir de janeiro do próximo ano. Os subsídios do prefeito (R$ 12.000,00) e do vice-prefeito (R$ 2.950,00) permanecerão congelados no próximo mandato.

 O projeto, apresentada pela Mesa Diretora da Câmara, proíbe “o acréscimo de qualquer gratificação adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória”. Na carta de encaminhamento do veto, o chefe do Executivo falou em prioridades: “Não podemos ser favoráveis a essa atualização salarial, que além de não estar dentro dos parâmetros inflacionários de revisão geral anual, também está descompensada diante das demais prioridades da gestão municipal”.

Foto: Gabriel Bagliotti / O Defensor

Segurança da Jardineira – Os vereadores também aprovaram um projeto de alteração de emenda impositiva, instrumento que remaneja R$ 33.252,95 originalmente destinados à atividade delegada dos distritos e bairros da área rural (pagamento de policiais à paisana para prestação de serviço ao município) para a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. O pedido partiu do comandante da 2.ª Cia da Polícia Militar, capitão Emerson Vieira Coelho. O dinheiro agora servirá para a Prefeitura contratar seguranças particulares na Jardineira da Tarde, evento carnavalesco marcado para os dias 22 e 24 deste mês.