Sucesso de público e crítica no Brasil e no exterior, exposição Lágrimas de São Pedro chega a Ribeirão Preto

Instalação do artista baiano Vinícius S.A com 3,5 mil lâmpadas cheias de água simula uma chuva suspensa no ar e convida o público a uma lúdica interação; Exposição acontece no Sesc Ribeirão de 08 de fevereiro a 05 de abril.

O Sesc Ribeirão apresenta, de 08 de fevereiro a 5 de abril de 2020, a exposição “Lágrimas de São Pedro”, sucesso de público e crítica no Brasil e exterior. Com passagens pela Alemanha, EUA, capitais brasileiras como Recife, Curitiba, Brasília, Rio de Janeiro e Salvador, e por cidades como Juiz de Fora, Bauru, Campinas, Itapetininga e Rio Claro, a exposição que desembarca em Ribeirão Preto já reuniu cerca de 500 mil visitantes.

“Lágrimas de São Pedro” terá entrada franca e ficará aberta de terça a sexta, das 13 às 22h e de sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 18h30. Vinícius estará no Sesc Ribeirão no dia 08 de fevereiro, sábado, das 11 às 12h para um bate-papo com o público.

A instalação é composta por cerca de 3,5 mil “lágrimas” formadas por bulbos de lâmpadas cheios d’água presos por fios de nylon ao teto em diferentes alturas e iluminação específica. Este trabalho, que vem emocionando o público brasileiro, rendeu a Vinícius S.A. o convite para expor em Frankfurt, Alemanha, em março de 2014.

Foto: Erivan Morais

Interação lúdica e poética

“Proponho nesse trabalho a criação de um ambiente onde o espectador penetra, envolvendo-se espacialmente com a obra, possibilitando a interação entre arte e fruidor de maneira mais abrangente. Neste caso é como se tivéssemos o poder de pausar a chuva, uma chuva de gotas grandes, limpas, transparentes, leves e com isso poder contemplar sua beleza, seu poder, seu símbolo, sua necessidade”, afirma Vinícius.

Segundo Alejandra Muñoz, professora de história da Arte da Universidade Federal da Bahia, a obra remete não só à chuva e ao alívio do sofrimento do sertanejo, mas também ao tempo: “A essência de ‘Lágrimas de São Pedro’ é, precisamente, expor a relevância do presente que ultrapassa a acepção meramente temporal e adquire um sentido de dádiva: o presente é um presente, uma graça divina, uma recompensa efêmera ao eterno sofrimento da existência. As lâmpadas de vidro constituem uma metáfora da abissal diferença entre quem tem tudo e quem tem apenas o agora. E o choro de São Pedro é a única saída para o fim do choro dos sertanejos, para quem o ontem não é lembrança e o amanhã não é promessa de algo mudar. Temos o privilégio de entrar na chuva, mas não podemos ainda sentir o molhar. Estamos situados em uma fresta de tempo suspenso onde o presente é um instante de eternidade.”

Foto: Erivan Morais

Impacto estético e conceitual

Para a crítica de arte Matilde Matos, a exposição “As lágrimas de São Pedro” é, seguramente, a de maior impacto que passou por salões e bienais de vários estados brasileiros. “O artista soube trazer, com infalível competência, a memória da chuva, a grande benfeitora capaz de aplacar a terrível seca nordestina, mal maior que aflige o nosso Nordeste. Atraente, significativa e bem executada, a instalação de continua incomparável”, afirma Matilde Matos.

Já o Professor Luiz Alberto Freire, Doutor em História da Arte, destaca que a instalação surpreende pela conjunção de estética e conceituação, binômio um tanto raro na arte contemporânea, segundo ele. “Vinícius fala uma linguagem universal, pois a falta de água potável já é um problema no mundo e se agravará mais ainda com a crescente poluição, desmatamento e exaustão dos mananciais aquíferos. Flagelos que garantirão longevidade ao impacto que a criação de Vinícius pretende e consegue causar no fruidor, e que pensamos ser o principal desígnio da arte”, avalia Freire.

Foto: Erivan Morais

Minibiografia do artista

Vinícius Silva de Almeida,1983, vive e trabalha em Salvador. Graduado em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, Vinícius S.A é um artista inquieto. Seu interesse pelas ciências exatas o fez desenvolver uma linguagem própria, que alia o pensamento científico e práticas manuais e de baixa tecnologia a proposições de poéticas visuais poderosas, que, além de estabelecer diálogos com o espectador, traduz a memória e as experiências do artista fazendo de seu processo uma constante investigação de possibilidades estéticas e conceituais do cotidiano.

A exposição “Lágrimas de São Pedro”, sucesso de público e crítica, passou por diversas cidades brasileiras, assim como Frankfurt na Alemanha e Las Vegas nos Estados Unidos. Outras obras do artista também já foram premiadas em renomados Salões e Bienais, a exemplo do “Objeto Óptico #02”, que recebeu o prêmio de residência artística internacional no 15º Salão da Bahia, a instalação “Sorria, você está sendo filmado!”, premiada no Salão Regional de Artes Visuais da Bahia e “O Pulso da Bienal”, importante obra do artista que recebeu menção especial na VIII Bienal do Recôncavo. Participou de duas residências artísticas na Europa, na Holanda e Alemanha.

Vinícius S.A, que é artista representado pela Paulo Darzé Galeria de arte, também integrou diversas importantes publicações, a exemplo do Livro “Escultura contemporânea no Brasil” de Marcelo Campos, ” 50 anos de arte na Bahia” e “Água, reflexos na arte da Bahia” de Matilde Mattos e “30 contemporâneos Brasileiros” de Enock Sacramento. Integrou diversas exposições coletivas, a exemplo das exposições “Ready Made in Brasil” sob curadoria de Daniel Rangel e “Pertencentes” no Museu de Arte Moderna da Bahia.

Foto: Erivan Morais

Serviço

Exposição Lágrimas de São Pedro

Onde: Sesc Ribeirão, Sala de Exposições

Data: 08/02 a 05/04, Entrada Gratuita

Abertura: dia 8, sábado, às 9h30.

Bate-Papo com o Artista: dia 8, sábado, das 11 às 12h.

Visitação: de 9/2 a 5/4, terça a sexta, das 13 às 22h. Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 18h30.