Vírus ‘coronavírus’ é detectado em pessoas que não estavam na China

O vírus chamado de ‘coronavírus’ foi sinalizado como vindo de Wuhan capital da província da China central. Mas os cidadãos que estavam na cidade e posteriormente viajavam para um outro local seriam os responsáveis por espalhar mundialmente a doença que vem aterrorizando os órgãos de saúde. Atualmente o número de infectados ultrapassa a casa dos 4.500 e os indivíduos que morreram devido ao vírus somam, até o momento, 106 em decorrência do problema gerado.

Os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) relatam que a idade média dos casos de coronavírus fora da China é de 45 anos, ainda entre os infectados, 71% são homens. Em contraponto, uma criança de apenas 9 meses também já foi diagnosticada com o vírus em Beijing, na China.

Mesmo que a China tenha sido o ponto de partida do coronavírus, hoje ele já se espalha pelo mundo todo, presente em uma lista que já engloba vinte países. Os governos da Alemanha, Japão e Taiwan já confirmaram a chegada do coronavírus em seus territórios, todos infectados a partir do contato com outros indivíduos que, provavelmente, carregavam o vírus. Entre todos, apenas a China enfrentou casos de morte até agora.

Uma técnica encontrada para tentar amenizar a proliferação do vírus é fazer testes nos aeroportos, principalmente os dos Estados Unidos, que recebem aproximadamente 90% dos voos provenientes da China, segundo a CNN. Cinco aeroportos estavam sendo fiscalizados, mas agora o número aumenta para 20.

A quantidade de cidadãos vindo diretamente de Wuhan tem diminuído continuamente, já que a cidade está entrando em estado de quarentena, mas o número de infectados com o coronavírus tem aumentado tanto ao redor do mundo que as autoridades preferem se precaver.