Médico de Gugu diz que a situação do apresentador era pior do que ele imaginava

O doutor Guilherme Lepski, que foi chamado pela família de Gugu Liberato para analisar o estado clínico do apresentador, deu maiores detalhes sobre a situação que encontrou o apresentador ao chegar aos Estados Unidos.

“Fui com esperança de poder transportá-lo para o Brasil e tratá-lo aqui, já tinha uma equipe pronta, tudo certo, mas infelizmente a situação que encontrei foi mais grave. Importante frisar que ele não chegou morto ao hospital, como foi falsamente notificado, chegou em estado neurológico grave. O que se colocou é que ele tinha morte encefálica tanto pelos critérios americanos e brasileiros”, explicou o médico, em entrevista ao programa “Fofocalizando”, do SBT nesta segunda-feira (25).

Ainda segundo o médico, ele não consegue afirmar em que momento teria ocorrido a lesão fatal do apresentador. Lepski explica que, segundo relatos que ouviu, Gugu pode ter batido a cabeça em dois momentos.

Reprodução

“Na minha hipótese médica, ele pisou e caiu. Pisou numa parte falsa e caiu, que era um dry-wall muito frágil. A cabeça dele pode ter batido em dois momentos: no orifício que se fez nesse dry-wall ou na pilastra que estava no andar de baixo. Ou nos dois orifícios. Eu não periciei o local, mas o que sei, pelo relato de pessoas que viram a casa, é que tinham marcas de traumatismo craniano, um pouco de cabelo e sangue, em uma pilastra que estava embaixo. Então ali, seguramente, foi um primeiro momento do impacto da cabeça dele que possivelmente causou a inconsciência e o levou a não se defender adequadamente na queda”, ressaltou o médico.

Por fim, Lepski explica que o atendimento prestado pela esposa de Gugu, Rose Miriam Di Matteo, foi adequado, mas que o quadro do apresentador era delicado.

“Muito embora o atendimento tenha sido adequado, inclusive, prestado pela esposa, no primeiro momento, que tentou liberar as vias aéreas, a hipoxia deve muito provavelmente ter agravado a situação neurológica dele. Todos esses fatores juntos acabaram acarretando em um quadro muito grave neurologicamente quando ele entrou no hospital.”

A assessoria de imprensa da família informou que o corpo do apresentador foi liberado pelo instituto responsável pelas necropsias e laudos locais.

Já o documento de liberação foi assinado pelo primogênito de Gugu, João Augusto Liberato. Agora, a família aguarda a autorização da funerária para fazer o translado do corpo ao Brasil para sepultamento.

De acordo com a assessoria do apresentador, a previsão é de que a chegada ao país aconteça na quinta-feira (28). O velório do apresentador acontecerá na assembléia Legislativa do Estado de São Paulo e será aberto ao público. E o sepultamento acontecerá no Cemitério do Morumbi.