Prerrogativas: Em seminário na Câmara Municipal presidente da Uvesp enaltece papel do vereador

No seminário Gestão Pública e Novas Regras Eleitorais, promovido pela Câmara de Taquaritinga no último dia 31, em parceira com a Uvesp (União dos Vereadores do Estado de São Paulo), Sebastião Misiara, presidente da entidade, falou sobre as prerrogativas dos parlamentares municipais. “Os vereadores são os elos fundamentais entre a população e o poder local. Eles conhecem a realidade humana mais do que qualquer outro político, porque estão mais perto do povo, tanto na campanha quanto depois”, enfatizou.

Misiara lembrou as principais atividades desempenhadas pelos membros do Legislativo: “As funções dos vereadores é legislar, fiscalizar e controlar o poder Executivo. São eles que decidem a vida do município, do estado e do Brasil”. Sobre a atual onda que defende a volta da ditadura, foi categórico: “Tenho pena de quem pede o fechamento do Congresso”. Mas reconhece que a atividade política se tornou uma verdadeira guerra: “Quem está dentro sabe o que representa ser político hoje”.

De acordo com Misiara, a Uvesp está preparada para ir às câmaras conversar com os vereadores sobre temas relevantes, como os abordados no seminário, que teve a participação de prefeitos e vereadores de várias cidades, dentre as quais Urupês, Guariba, Itápolis, Cândido Rodrigues, Monte Alto, Pirangi, Matão, Américo Brasiliense, além de Taquaritinga.

A equipe jurídica da entidade pesquisa decisões judiciais sobretudo, do Supremo Tribunal Federal, para embasar os pareceres solicitados por entes – câmaras e prefeituras– conveniados. Sobre isso, ele chamou a atenção para a elaboração de leis inconstitucionais, que abrem espaço para ações diretas de inconstitucionalidade. Para evitá-las, aconselhou os legisladores a falar com o Ministério Público a respeito da viabilidade de determinado tema transformar-se em lei.

Dr. Willians Kester, advogado da Uvesp, disse que em muitos casos o MP está indo além dos processos para derrubar leis que se chocam com a Constituição. Promotores têm proposto, com sucesso, ações de reparação de dano ao erário causado por leis formuladas sem amparo na carta magna. O resultado são multas e suspensão de direitos políticos dos autores e dos legisladores que votaram a favor.

A abertura do evento foi feita por Beto Girotto, presidente da Câmara. Ele destacou que há quase 20 anos o Legislativo de Taquaritinga tem suas contas aprovadas em função da responsabilidade de cada presidente e de cada servidor no cumprimento de suas obrigações. “Embora tenhamos que enaltecer a aprovação das contas, também temos de dizer que é um dever de todo homem público usar bem os recursos e não gastar acima do que de fato arrecada. Muito menos trabalhar com perspectivas de arrecadação que muitas vezes não se concretizam”, afirmou.

 Assessoria de Imprensa CMT

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."