ENEM 2019: Vacinação e retorno de doenças erradicadas são temas que podem cair na prova

Recentemente o Brasil sofreu com um surto de sarampo espalhado por diversas regiões do país. O sarampo que havia sido erradicado no país, resultando até mesmo em uma certificação da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) que declarava o Brasil como primeira zona livre de sarampo no mundo. Foram registrados 10.374 casos, com 12 mortes, apenas de fevereiro de 2018 a fevereiro de 2019.

A situação chamou a atenção de especialistas e da população para a queda nas taxas de vacinação no Brasil. Em 2018, a cobertura de vacinas obrigatórias até 1 ano de vida variava entre 74% e 89% no país, enquanto que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é que esse índice seja de 90% a 95%.

Questões como a falta de atenção a doenças que não são mais tão frequentes em nosso cotidiano e a disseminação de informações falsas, resultando no crescimento do movimento antivacina, são responsáveis pela diminuição das taxas de vacinação e, consequentemente, pelo retorno de doenças erradicadas, segundo o professor Flávio Guimarães, do Departamento de Microbiologia da UFMG.

O professor falou sobre o assunto no quarto episódio do podcast Dá Ideia, produzido pela Imaginie. Você pode ouvir o programa usando o player abaixo, no Spotify e no Deezer.

Ou no link a baixo: