Bem-estar: vacina contra infecção urinária pode ser a salvação de mulheres que sofrem com o problema

Quadro pode apresentar diferentes sintomas, dependendo do paciente e da gravidade do problema.

Bastante comum entre mulheres, a infecção urinária é causada pela propagação de bactérias no sistema urinário e, apesar de normalmente não provocar grandes complicações de saúde, pode resultar em problemas sérios se não for corretamente tratada, uma vez que as bactérias podem chegar à corrente sanguínea.

O tratamento é feito com uso de analgésicos e, em casos mais graves, antibióticos prescritos por um médico, mas mulheres que sofrem demais com o problema podem ainda tentar uma terapia com uma vacina que combate quadros recorrentes.

Vacina – Chamada Uro-vaxom, a vacina para infecção urinária é diferente, já que é em forma de comprimidos, e indicada para o tratamento da condição causada pela bactéria Escherichia coli, responsável por 85% dos casos de cistite.

O medicamento, vendido apenas com receita médica, previne infecções urinárias recorrentes e ainda ajuda no tratamento de infecções agudas, estimulando as defesas naturais do organismo.

O tratamento com a vacina, para episódios agudos, normalmente consiste na ingestão de 1 cápsula de Uro-vaxom ao dia, com o estômago vazio, por um período médio de 10 dias. O remédio ainda serve como auxiliar da terapia antibiótica convencional, até o desaparecimento dos sintomas.

Os sinais mais leves e comuns da condição incluem: sensação de queimação ao urinar, vontade de urinar constantemente, cheiro forte e diferente na urina, dor nas relações sexuais e cansaço.