Primeiro passo: Brasil tem rodovia com pontos para recarga de carros elétricos

Nos 430 km que ligam as capitais São Paulo e Rio de Janeiro, motoristas podem recarregar seus carros elétricos.

Apesar da frota brasileira de carros movidos a eletricidade ser pequena, para quem ainda não sabe, foram inaugurados, em 2018, na Rodovia Presidente Dutra, entre São Paulo e Rio de Janeiro, seis postos de recarga. A iniciativa é das empresas BMW Brasil e Energias de Portugal (EDP), parceiras neste projeto.

O trecho compreendido é o maior instalado até hoje na América Latina. Os postos estão localizados a uma distância de cerca de 122 km entre eles, nas cidades de Guararema, São José dos Campos, Guaratinguetá e Queluz (todas no estado de São Paulo) e Piraí, no Rio de Janeiro.

O tempo estimado para uma recarga de 80% da bateria é de 25 minutos. Dois automóveis podem ser recarregados ao mesmo tempo em cada posto. Todavia, este ano o serviço começará a ser cobrado.

Em 2017, apenas 0,2% dos 2 milhões de automóveis vendidos no Brasil eram híbridos ou elétricos. Entretanto, previsões de especialistas apontam que, globalmente, o número de carros elétricos nas ruas triplicará nos próximos dois anos. Segundo a International Energy Agency (IEA), a expectativa é que aconteça um salto de 3,7 milhões de veículos para 126 milhões em 2030.

Mais da metade das vendas deste tipo de carro ocorreu na China, que deve se manter o líder da demanda na próxima década. Em seguida, estão os americanos. Para combater a poluição no país, que atinge níveis alarmantes e provoca milhares de mortes, o governo chinês lançou uma série de incentivos para a compra de automóveis elétricos, entre eles, uma taxa de 10% de desconto até 2020.

Infelizmente, no Brasil, ainda há pouco estímulo ao consumidor para trocar os carros movidos a diesel e a gasolina pelos elétricos.