Araraquara: Morre vítima de explosão em lanchonete na Alameda

Chapeiro morreu alguns dias após ser atingido pela explosão de um botijão de gás.

Morreu no início da tarde do último domingo, no Hospital Estadual de Bauru (HEB), o funcionário da lanchonete atingido por uma explosão de gás, registrada na Alameda Paulista, no dia 15 de janeiro, em Araraquara (SP).

Segundo informações do proprietário da lanchonete, Cicero Fernando da Silva, seus funcionários teriam realizado a troca do gás, porém, estavam com dificuldade de abrir o registro. Com a válvula travada, os funcionários ligaram na empresa de gás, no final da tarde de terça-feira (15), e solicitaram um representante.

“O funcionário da empresa olhou, tentou abrir e nisso ouvimos o barulho de gás vazando na cozinha. Peguei meu filho de dois anos e tirei-o da lanchonete. Voltei para dentro do prédio para desligar a energia e nisso ouvi o funcionário da empresa de gás gritando vai explodir. Nisso eu já ouvi a explosão”, conta Cícero.

Tiago de Souza Andrade de 33 anos, trabalhava na lanchonete no momento que um botijão de gás explodiu. O jovem foi levado a Santa Casa de Araraquara com queimaduras de segundo grau, onde ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), enquanto guardava uma vaga em hospital de queimados. No dia seguinte, foi transferido para Bauru, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo 11 dias após a transferência.

O proprietário do estabelecimento e um funcionário da distribuidora de gás foram socorridos para a UPA Central, com queimaduras pelo corpo, mas passam bem.