Nossa Palavra – Iluminação espanta os malandros

O ex-prefeito Paulo Delgado tinha um sonho de tornar Taquaritinga uma cidade-luz (não igual Paris, é lógico, mas com iluminação suficiente). Ele chegou formalizar acordo com Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL, que hoje nada faz pelo município e só pensa no vil metal) para trocar as lâmpadas dos postes e substituir os postes que ainda eram de madeira.

Hoje muitos ainda são – vejam vocês que a situação não evolui, é igual rabo de cavalo: cresce para baixo. Lamentavelmente a rota da iluminação foi brecada na administração passada e até hoje está em banho-maria, respirando por aparelhos. Pelo contrário, em algumas regiões a iluminação está mais precária, deixando a desejar, com lâmpadas queimadas (infelizmente muitas delas queimadas por atos de vandalismo, essa praga moderna que surgiu justamente quando Delgado retirou os vigias das praças e dos próprios públicos, por imposição da corda no pescoço que enforcava a administração pública).

A iluminação, todos sabem, dá vida a qualquer cidade, reveste suas entradas de um coloridotodo especial, mas Taquaritinga sempre cismou de ficar “apagada” no cenário estadual ,suas lâmpadas amarelas não brilhavam até então, alguma coisa precisava ser feita. O ex-chefe do Executivo fez, mas não por muito tempo. Este O Defensor acredita que o empresário Vanderlei Mársico está com a faca e o queijo na mão para dotar a cidade de uma iluminação melhor e moderníssima (de acordo com o próprio futurístico pregado pelo alcaide).

A melhor iluminação não favorece só o visual, favorece a segurança e o bem-estar geral da comunidade. Taquaritinga bem iluminada representa a tranquilidade das famílias nas praças e jardins, o direito de ir e vir das pessoas de suas residências ao trabalho e vice-versa. Infelizmente, o município (ou melhor, suas gestões) não deu importância para isso e a cidade ficou ao deus-dará das intempéries do tempo. Com postes caindo, rede elétrica sem manutenção, lâmpadas apagadas, o município não abre espaço para seu desenvolvimento, seu progresso e seu futuro.

E o pior: nossa população não vislumbra nenhum horizonte. O prefeito atual (ao contrário do anterior) entende do riscado, é administrador e busca voos modernos e rasantes no tablado da perfeição. Mársico tem que aproveitar esses dois anos que lhe restam para desenhar uma cidade com novos e decisivos traços. A iluminação pública de um município faz parte de seu cotidiano, sua mobilidade urbana, seu equilíbrio vital (quanto mais luzes, a violência diminui e as famílias ocupam ruas e avenidas, não deixando espaço para malandros. A iluminação espanta os marginais e os desconhecidos e, portanto, deve ser priorizada pela administração municipal.

Ninguém vai ter sossego enquanto Taquaritinga estiver mal iluminada, a criminalidade vai caminhar de braços dados com a comunidade, além de que o aspecto não será dos melhores na cidade. Imaginem vocês uma região com velhos casarões, terrenos baldios e mal limpos, além de muita sujeira e mato, sem contar com energia elétrica ou com lâmpadas amareladas ou mesmo queimadas ou quebradas. A estrada desbravada pelo Paulinho deve ser continuada, sob compromisso da CPFL não deixar a peteca cair.

Os taquaritinguenses podemos tirar uma conclusão final com o Natal Pérola, promovido pela Associação Comercial e Industrial de Taquaritinga, o quão bonita é uma cidade enfeitada e iluminada com luzes especiais. É isso que atrai os turistas.