Atividade misteriosa é detectada em buraco negro no centro da Via Láctea

O buraco negro supermassivo “Sagittarius”, localizado ao centro da Via Láctea, normalmente é bastante inativo, sem emitir luz e calor para o espaço ao seu redor. Mas recentemente astrônomos o flagraram tendo um ataque de luz, repentinamente emitindo 75% mais luz do que seu nível normal.

Esse buraco negro nunca emitiu tanta luz assim. “No início fiquei muito surpreso e depois empolgado”, afirmou ao ScienceAlert o astrônomo Tuan Do, da Universidade da Califórnia em Los Angeles.

“O buraco negro era tão brilhante que primeiro eu o confundi com a estrela S0-2, porque eu nunca havia visto a Sagittarius tão brilhante assim. Mas depois das próximas imagens ficou claro que a fonte variava e que tinha que ser um buraco negro.”, relata ele.

Agora os cientistas querem saber exatamente o que está acontecendo com ele. Os resultados reunidos até agora foram publicados em The AstrophysicalJournalLetters.

O astrônomo Do e sua equipe usaram o WM KeckObservatory no Havaí (EUA) por quatro noites no início de 2019. O brilho intenso foi registrado no dia 13 de maio, e a equipe conseguiu registrar este brilho em um timelapse, em que 150 minutos foram comprimidos em poucos segundos.

Os buracos negros em si não emitem nenhuma luz que pode ser detectada pelos instrumentos que existem atualmente, mas tudo ao redor deles emite luz quando as forças gravitacionais geram uma fricção enorme.

É essa fricção que emite a luz que podemos ver da Terra com a ajuda de telescópios infravermelha.

Normalmente a luz emitida por este buraco negro é fraca e pulsa como a luz de uma pequena vela. Mas este comportamento atípico indica que algo deve ter invadido o ponto de não-retorno do Sagittarius e foi agarrado por sua gravidade.

Os pesquisadores estão tentando descobrir qual objeto foi puxado para o buraco. Eles acreditam que há dois fortes candidatos: a nuvem de gás G2 ou a estrela S0-2.

A nuvem de gás G2 passou a 36 anos-luz do buraco negro em 2014. É possível que a explosão de luz registrada em 2019 seja uma reação atrasada ao esbarrão da nuvem. Já a estrela S0-2 passou em 2018 a 17 anos-luz do buraco negro, e pode ter alterado a forma que gases entram no buraco.

Do e sua equipe estão aguardando para comparar os dados coletados por vários outros observatórios do mundo, para então chegar a uma conclusão final sobre a causa do recente espetáculo do Sagittarius. “Estou aguardando os resultados ansiosamente”, dizo astrônomo Do.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."