Reforma do Cine São Pedro: Investimento financeiro nesta nova etapa chega a 3 milhões de reais

Construtora Fênix, de Catanduva, é a responsável pela obra.

Agora, pelo jeito, é pra valer. Depois de vários anos paradas, as obras de reforma do histórico prédio do Cine São Pedro, localizado no centro de Taquaritinga, foram retomadas e até mesmo no feriado de 9 de julho, funcionários da Construtora Fênix, de Catanduva, responsável pela conclusão do empreendimento, trabalharam firme, como manda o figurino.

De acordo com o processo licitatório, caberá à empresa executante da obra, serviços de adequação do prédio, acessibilidade, hidráulica, elétrica e pintura, até a obtenção do AVCB, que é o Alvará de Vistoria do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o secretário municipal de Obras e Meio Ambiente, engenheiro Luís Carlos Lourençano, o Ministério da Cultura (MIC), disponibilizou uma verba de R$ 2.040.000,00, juntando-se aos R$ 800 mil de repasses anteriores, mais R$ 50 mil de contrapartida da Prefeitura de Taquaritinga, chegando a quase 3 milhões de reais. As obras de reforma tem prazo de conclusão para abril de 2020.

O Cine São Pedro, construído na década de 1930 e fechado pelo proprietário nos anos de 1990, foi adquirido pela prefeitura no final de 2011, após uma série de problemas burocráticos envolvendo 38 herdeiros. Cinco anos antes, em 2006, o prédio foi Interditado depois de apresentar problemas no telhado.

Foto: Gabriel Bagliotti / O Defensor

Impasse – De acordo com publicação feita pelo site do G-1, de Ribeirão Preto/Franca, no início da semana passada, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) aponta 18 obras paradas ou atrasadas em Taquaritinga, que somam R$ 12,9 milhões. Segundo mapa virtual, publicado pelo site da Globo, Taquaritinga é a que mais tem projetos travados na região de Ribeirão Preto.

Ainda de acordo com a matéria do G-1, entre os projetos parados na cidade, um dos mais antigos é a reforma e modernização do Cine Teatro São Pedro, cujo convênio com o governo federal teve início em 2012, no valor de R$ 1,339 milhão. O prédio erguido na década de 1930 abrigará um centro cultural.

Consta no site do TCE-SP que no ano de 2017 a Prefeitura foi contemplada com outro contrato de repasse do Ministério da Cultura e Turismo para reforma do mesmo edifício. Assim, os projetos precisaram ser paralisados para revisão das peças, evitando duplicidade de ações.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."