Artigo: Para que servem as Ciências Humanas?

Por: Walber Gonçalves de Souza*

Na escala evolutiva em um determinado momento o ser humano se tornou Homo Sapiens, significa que, a partir daquele momento, ele tornou-se conhecedor e manipulador do conhecimento.

Surgiram as primeiras dúvidas, as primeiras perguntas, mesmo que intrinsicamente, surgiu a vontade de saber, de conhecer. Tudo, literalmente tudo, passou a ser fonte de entendimento mas com um agravante, não queríamos apenar conhecer, mas também transmitir o conhecimento como forma de perpetuá-lo.

Queríamos saber e explicar como as cosias surgiram, como as forças da natureza funcionavam, como as pessoas viviam, em quê se tornaram e porque agiam de um jeito ou de outro. Enfim, simplesmente era preciso conhecer.

Sabemos que com o passar do tempo métodos que auxiliam na busca do saber foram sendo criados e a gama de conhecimento adquirido a cada dia aumentando. Chegando ao ponto do próprio ser humano admitir que quanto mais se conhece menos se sabe.

Todavia a grande finalidade do conhecimento é tirar o ser humano da ignorância, que é a falta de conhecimento e o que gera o preconceito, a estupidez, a violência, dentre tantos outros problemas. Sua maior finalidade é espantar a ignorância não só em relação às coisas, mas também em relação a si mesmo. Portanto precisamos nos conhecer.

E só há um caminho para tal, para nos conhecermos é preciso cultivar a memória que se preserva na história; é preciso permitir a liberdade de pensamento, que se fortifica na dialética; é preciso incentivar a arte nas suas mais diversas formas de expressão, pois não queremos só comer e beber, queremos mais, necessitamos dar brilho à vida; é preciso entender que somos seres culturais e como tal precisamos percorrer os caminhos da formação da nossa cultura, saber como ela foi formada e interpretada, entendida e porque se perpetua.

Somos seres biológicos (genótipos), mas também sociais (fenótipos). Não basta simplesmente viver em sociedade, mas é preciso entendê-la também. Para que soluções sejam apontadas, distorções sejam corrigidas e novas realidades surjam.

Portanto, não é possível ver que em pleno século XXI, com tantos desafios tão pertinentes e necessários, se discute qual ramo do conhecimento é mais importante do que outro. A situação parece retroceder aos tempos em que vivíamos nas cavernas. As ciências humanas, a exemplo das demais devem servir única e exclusivamente para o aperfeiçoamento do próprio ser humano.

Precisamos do nosso trabalho (dinheiro dele proveniente), das invenções, dos medicamentos, das construções e de tantas outras coisas, mas precisamos também ser um ser humano melhor, que se valoriza através da sua identidade, história e cultura. Não é possível incentivar a ignorância.

Mas no Brasil quando a gente pensa que já viu tudo, provavelmente estaremos equivocados, pois sempre somos surpreendidos por uma nova “pérola”, geralmente de mal gosto.

*Walber Gonçalves de Souza é professor e escritor.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."