Mundo: após prisão, WikiLeaks libera milhares de documentos

O site Wikileaks liberou o acesso a milhares de documentos governamentais e de empresas após a prisão de seu fundador, o australiano Julian Assange.

Ele foi preso na quinta-feira (11) na embaixada do Equador, em Londres, onde estava refugiado desde 2012.

Os policiais entraram na embaixada após o presidente equatoriano, Lenín Moreno, suspender o asilo que concedia a Assange.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."