Verdão supera Junior Barranquilla em casa e encaminha vaga nas oitavas da Libertadores

Restando duas rodadas para o fim da fase de grupos da Conmebol Libertadores 2019, o Verdão ficou mais perto de garantir antecipadamente vaga às fases decisivas do torneio continental: isso porque, com a vitória por 3 a 0 sobre o Junior Barranquilla-COL na noite desta quarta-feira (10), no Allianz Parque, a equipe Alviverde chegou a 9 pontos no grupo F da Libertadores e se distanciou do terceiro e do quarto colocado do pelotão (o Melgar, 3º colocado, soma 4 pontos, enquanto o adversário da vez, Junior, 4º colocado, não somou pontuação até aqui). O San Lorenzo-ARG lidera o grupo F, com 10 pontos.

Os gols palmeirenses foram marcados no primeiro tempo, por Deyverson, e no segundo tempo, por Dudu e Hyoran. O gol de Deyverson, aos 19 minutos, se originou de uma cobrança de falta batida por Gustavo Scarpa: o camisa 16 aproveitou rebote no chute de Dudu após o tiro de Scarpa e, no rebote, não perdoou. Já o gol de Dudu, aos 9 minutos da etapa derradeira, nasceu de uma jogada com Bruno Henrique, que, ao cobrar falta rápida, acionou o camisa 7, que chutou forte! A bola ainda bateu na trave antes de balançar as redes adversárias. Por último, o gol de Hyoran saiu aos 43 minutos de bola rolando no segundo tempo, em uma tabela com Dudu – o detalhe é que o camisa 28 do Verdão havia saído do banco de reservas apenas cerca de cinco minutos antes.

Nos aspectos individuais, Dudu segue como o número um do Allianz Parque, desde que a arena palmeirense foi inaugurada, em 2014. Ele é recordista absoluto em diversos aspectos: é o jogador que mais atuou (106 jogos), que mais venceu (75 vezes), que mais marcou gols (28 tentos) e que mais concedeu assistências (27 passes).

Além disso, o Baixinho, como é chamado carinhosamente pela torcida, além de ser o jogador que mais entrou em campo em 2019, participando de 18 das 20 partidas possíveis, ao lado de Bruno Henrique, também é o recordista em minutos no ano, de forma isolada, com 1579 ao todo, somando todas as competições (já considerando eventuais acréscimos concedidos pela arbitragem).

E não são só os jogadores. Felipão continua com acumulando feitos surpreendentes. A partida desta noite marcou a 50ª vez de Luiz Felipe Scolari no banco de reservas alviverde desde que retornou ao Palestra Italia, em 2018. A marca, apesar de significativa, ganha ainda mais força quando analisada ao lado do aproveitamento do treinador: Levando em conta os primeiros 50 jogos do trabalho de um treinador no Verdão, Scolari possui o menor índice de derrotas dos últimos 47 anos.

Em 1972, em sua 3ª passagem, Oswaldo Brandão iniciou um trabalho com apenas duas derrotas nas 50 partidas iniciais (este é o recorde de todos os tempos). Os 50 jogos de Felipão apontam apenas cinco reveses, o que já lhe garante o 4º posto de mais baixo percentual de derrotas em toda a história palmeirense.

Em sua terceira passagem pelo Palestra Italia, o técnico Luiz Felipe Scolari soma, ao todo, 223 vitórias, 125 empates e 110 derrotas no comando da equipe alviverde. Foram 458 jogos. Além do título do Brasileiro de 2018, o treinador já havia conquistado a Copa Libertadores em 1999, a Copa do Brasil em 1998 e 2012, a Copa Mercosul em 1998 e o Torneio Rio-São Paulo em 2000. Desde que retornou ao clube, em julho de 2018, Felipão participou de 50 partidas – 31 triunfos, 14 empates e cinco reveses. A partida diante do Junior Barranquilla-COL marcará, portanto, a 50ª partida do treinador desde que voltou.

O jogador Hyoran, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do Junior Barranquilla, durante partida valida pela quarta rodada, fase de grupos, da Copa Libertadores, na Arena Allianz Parque.

Dados atualizados na Libertadores – São, ao todo, 178 jogos pela Libertadores, com 94 vitórias, 33 empates e 51 derrotas (317 gols marcados e 198 sofridos). Além disso, o Palmeiras é o clube brasileiro com mais participações na história da Conmebol Libertadores, ao lado de Grêmio e São Paulo – são 19 edições. Esta é a primeira vez na história em que o Palmeiras disputa quatro edições seguidas da competição continental.

Ao longo de sua trajetória na mais importante competição das Américas, o Alviverde já contou com cinco artilheiros: Tupãzinho (1968, com 11 gols), Lopes (em 2001, com nove gols), Marcinho e Washington (ambos em 2006, com cinco gols cada um) e Borja (em 2018, com nove gols).

O Verdão carrega ainda a fama histórica de ter sido o primeiro brasileiro a ter disputado uma final de Libertadores. Foi em 1961, quando enfrentou o Peñarol na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde ainda chegou à final em 1968 e 2000, além de 1999, quando foi campeão. O clube ainda alcançou a fase semifinal em 1971 e 2001.

O Palmeiras aposta na experiência para faturar seu bicampeonato da Libertadores. Atualmente, o elenco conta com cinco atletas campeões do Continental. São eles: Edu Dracena, pelo Santos, Marcos Rocha, pelo Atlético Mineiro, Willian, pelo Corinthians, e Borja e Guerra, ambos pelo Atlético Nacional-COL. Além disso, o técnico Luiz Felipe Scolari conquistou o título em 1999, pelo Palmeiras, e em 1995, pelo Grêmio.

Agenda – O Palmeiras volta a campo no próximo dia 25/04 (quinta-feira), em Arequipa, no Peru, para enfrentar o Melgar-PER, pela Libertadores, às 23h de Brasília (21 no horário local). Em seguida, o Alviverde estreia no Brasileirão, contra o Fortaleza-CE, às 19h do dia 28/04 (domingo).

Por: Bruno Alexandre Elias – Departamento de Comunicação Palmeiras

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."