Realidade: mais de 500 mulheres são agredidas a cada hora no Brasil

Pesquisa revela que na média, por hora, 177 são espancadas; 76% das mulheres vítimas de violência contam que o agressor era conhecido.

Um estudo sobre a violência contra mulheres no Brasil concluiu que mais de 500 foram agredidas fisicamente a cada hora em 2018. E na maioria dos casos, por pessoas conhecidas.

Em 2018, segundo um levantamento do Datafolha, encomendado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 16 milhões de mulheres acima de 16 anos sofreram algum tipo de violência: 3% ao se divertir num bar, 8% no trabalho, 8% na internet, 29% na rua e 42% em casa.

O número de agredidas fisicamente alcança quase cinco milhões de mulheres, uma média de 536 mulheres por hora em 2018; e 177 espancadas.

A pesquisa mostra que 76% das mulheres vítimas de violência contam que conheciam o agressor: o marido, um ex-namorado, um vizinho. E quando perguntadas o que fizeram depois da agressão, mais da metade respondeu: nada – sequer chamou polícia. Um dado que revela como pode ser difícil quebrar o silêncio.

Para a responsável pela pesquisa, é preciso melhorar a estrutura para receber quem sofre violência, não apenas Delegacias da Mulher, que existem em só 8% dos municípios brasileiros.

“Ela vai precisar de uma assistente social, muitas vezes ela precisa de um encaminhamento para o sistema de saúde, se o caso dela envolve guarda de filho, ela precisa do apoio da Defensoria Pública. Se ela está numa situação de alto risco, ela precisa ser deslocada para uma casa abrigo para ter a sua vida resguardada, preservada”, disse Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

As informações foram retiradas do Jornal Nacional.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."