Utilidade: detentas de Araraquara confeccionam polvos de crochê para bebês na UTI

As mulheres se ofereceram como voluntárias e na última semana entregaram as primeiras peças ao hospital. O intuito é entregar os polvos a cada dois meses.

Um grupo de 30 reeducandas do Centro de Ressocialização, em Araraquara (SP), uniu-se para ajudar um projeto que desenvolve polvos de crochê para bebês prematuros internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Maternidade Gota de Leite.

As reeducandas fazem parte do “Projeto Transformação”. Trata-se de um grupo de apoio às mães que perderam filhos recém-nascidos ou ainda na gestação.

Foto: Reprodução

Originalmente, a ideia surgiu em 2013 através de um grupo na Dinamarca. O objetivo é fazer com que, na companhia dos polvinhos, os bebês não se sintam sozinhos na incubadora.

Vale dizer que, antes de entrar em contato com os recém-nascidos, o polvo de crochê passa por um processo de limpeza.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."