Orgânico: lixo brasileiro quase não é reaproveitado

O lixo é um dos desafios de desenvolvimento sustentável enfrentado pelas grandes cidades.

Mais da metade dos resíduos coletados no país é composto de restos de alimentos. A decomposição desse material gera, por ano, a mesma quantidade de gases de efeito estufa produzida por sete milhões de carros.

Todos os anos, o Brasil produz quase 37 milhões de toneladas de lixo orgânico. Esse resíduo tem potencial econômico para virar adubo, gás combustível e até mesmo energia. No entanto, apenas 1% do que é descartado é reaproveitado.

Como o lixo orgânico não é tratado, ele vai parar nos aterros sanitários. O problema é que a decomposição desse material gera gás metano, nocivo à atmosfera.

Um dos processos mais tradicionais de recuperação desse material é a compostagem. É como se fosse uma reciclagem, no qual fungos e bactérias transformam lixo em adubo.

A cidade de São Paulo é a que mais produz lixo no país e atualmente conta com cinco pátios de compostagem. A expectativa é abrir mais seis até o fim do ano. A operação é realizada através do recebimento de resíduos de feira, especificamente frutas, verduras e legumes. Hoje é deixado de mandar para aterro 15 mil toneladas por ano desse tipo de resíduo orgânico.

Vale dizer que ao todo, no País são produzidas, diariamente, cerca de 250 mil toneladas de lixo.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."