Maus-tratos: Casos repetidos de violência aumentam índice de suicídio entre mulheres

Quatro entre dez óbitos de mulheres que já tinham registro de atendimento no SUS (Sistema Único de Saúde) por violência apresentavam histórico de lesões autoprovocadas.

Um estudo realizado pelo Ministério da Saúde revela que a violência de repetição em mulheres eleva o risco não só do feminicídio, mas também do suicídio. Entre adultas, a lesão autoprovocada foi identificada em 47,9% dos casos; entre idosas, em 49,9%.

Entre as vítimas jovens (20 a 29 anos), a maioria (61,5%) tinha baixa escolaridade. Entre as adultas, eram 66,25% e entre idosas (mais de 60 anos), 83,7%. Mais de um terço dos municípios de residências das mulheres, em todos os ciclos de vida, era de até 50 mil habitantes.

Para tentar melhorar a identificação de casos, no Distrito Federal todas as suspeitas de homicídio contra mulheres, independente da idade, são registradas como feminicídio. Há também um questionário padrão, com perguntas simples para serem preenchidas por mulheres que chegam à delegacia.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de O Defensor. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Defensor poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."