Ministério da Saúde reconhece o farmacêutico como profissional da saúde

Na última semana, o Ministério da Saúde reconheceu o farmacêutico como profissional da saúde após sua inclusão no código de identificação do Sistema Único de Saúde – SUS. Para a coordenadora do curso de Farmácia da Universidade de Araraquara – Uniara, Thalita PedroniFormarizPilon, no entanto, “o farmacêutico sempre foi e será um profissional da área da saúde”.

Ela aponta que, com a medida da inclusão no código de identificação do SUS, “o profissional, que antes atuava mais na área de gestão de medicamentos, agora passará também a acompanhar os tratamentos oferecidos pelo Sistema, de forma a checar se a dosagem e os regimes posológicos dos medicamentos estão corretos, ou se existe alguma interação medicamentosa e/ou interação medicamento-alimento, entre outras funções clínicas que garantem a eficácia terapêutica, ou seja, garantem se os resultados terapêuticos estão dentro do esperado”.

Outra medida mencionada pela docente foi o Projeto-Piloto do Programa de Cuidados Farmacêuticos em relação a pacientes portadores de hepatite e de artrite reumatoide. “O profissional irá atuar no acompanhamento terapêutico e mostrar a importância do uso racional de medicamentos, minimizando os riscos de falhas no tratamento devido ao seu uso irracional. Essas medidas facilitam o acesso e a qualidade no atendimento às pessoas que utilizam o SUS”, destaca.

Saiba mais:  CAT joga bem, mas perde em Birigui

O profissional, além de gestor de medicamentos, passa a exercer também a função de farmacêutico clínico, de acordo com Thalita. “Além de lidar com a dispensação e o controle de medicamentos, passa a atuar no acompanhamento fármaco-terapêutico, na conciliação de medicamentos e no rastreamento em saúde”, explica.

Com isso, as medidas, segundo a coordenadora, “mostram a importância do farmacêutico no cuidado com as pessoas, além de aumentarem o número de profissionais trabalhando no Sistema”.